quinta-feira, setembro 22

Curtas

• O presidente Bush agradeceu a comunidade judaica americana pela ajuda às vítimas do furacão Katrina.

• Howard Dean, ex-candidato à presidência americana disse que a retirada de Israel da Faixa de Gaza "é um dos maiores passos para a paz que já vi em minha vida".

• O rei Abdullah II da Jordânia conclamou aos judeus para que se unam a ele na promoção da paz e de reconciliação...

• Mahmoud Abbas rejeitou um apelo internacional para a Autoridade Palestina cumprir seus compromissos para acabar com a infraestrutura terrorista em Gaza.

• Nos primeiros dias antes das forças palestinas fecharem a passagem de fronteira para Rafa, milhares de palestinos atravessaram livremente a fronteira. Os 750 soldados egípcios nada fizeram para impedir. A maior parte do fluxo de pessoas abandonando a Faixa de Gaza. Segundo dados da Autoridade Palestina, foram apreendidos 500 kg de drogas tentando entrar em Gaza e o preço das armas despencou devido a grande quantidade de novas armas que entraram por Rafa. Ninguém foi preso.

Observação: note que fica sempre essa conversa de pobreza, miséria e falta de trabalho. Então, de onde vêm o dinheiro para a compra de armas? O islã castiga com a morte os usuários e traficantes de drogas. Como então, numa área controlada pelo Hamas há dinheiro e consumidores para, além da meia tonelada apreendida, o resto da droga que passou. No Brasil, foram feitas duas grandes apreensões sucessivas: uma e duas toneladas (a maior da história brasileira). Em Rafa foi meia tonelada e isso é muito significativo.

• Um tribunal americano condenou o dono de uma pequena sorveteria por arrecadar e enviar milhões de dólares para grupos terroristas, incluindo o Hamas.

• A comunidade judaica de Houston já se prepara para o grande impacto do furacão Rita, atualmente na categoria 5 com potencial de destruição maior que o Katrina, com ventos de 280 km/h (rajadas atingindo os 320 km/h) e que deve atingir a costa do Texas amanhã.

• Trabalhadores na Alemanha encontraram restos mortais que podem ser de judeus que morreram durante a Segunda Guerra em trabalho escravo.