sexta-feira, dezembro 30

Al Qaeda reivindica ataques em Israel

Em seus comunicados frequentes pela Internet, a "Al Qaeda no Iraque" assumiu os dois ataques desta semana contra Kiriat Shmona no norte de Israel. No texto, diz ainda que abriu uma nova frente de "combate". Talvez seja por isso que a mídia árabe disse que o terrorista suicida que matou 3 palestinos e um israelense ontem, era do Jihad Islâmico, enquanto o grupo permaneceu calado e não assumiu, o que não é de seu feitio.

Se a Al Qaeda relamente começar sua investida contra Israel podemos esperar massacres como os habituais no Iraque a não ser que se conte com uma atenção triplicada das forças de defesa em Israel. Mas para crer que os ataques vindos do Líbano são da Al Qaeda é preciso entender que o Sul do Líbano pertence ou Hizballah e não ao governo libanês. O Hizballah é integralmente apoiado pelo Irã e de orientação xiita, enquanto a Al Qaeda é abertamente de orientação sunita, inclusive tendo declarado, recentemente, guerra "a todos os xiitas no mundo".

Portanto, a situação é política e religiosamente improvável. Ninguém atua no Sul do Líbano sem a autorização do Hizballah. O maior problema com a Al Qaeda é que já não há mais onde retaliar.